Pavimento urbano de concreto não aceita “jeitinho” 

Seminário debate obstáculos, e aponta soluções, para que tecnologia se torne prioridade para as prefeituras
1 de dezembro de 2021

Pavimento urbano de concreto não aceita “jeitinho” 

Pavimento urbano de concreto não aceita “jeitinho”  1024 576 Cimento Itambé
Seminário debate obstáculos, e aponta soluções, para que tecnologia se torne prioridade para as prefeituras  Crédito: Prefeitura de Goiânia

Seminário debate obstáculos, e aponta soluções, para que tecnologia se torne prioridade para as prefeituras
Crédito: Prefeitura de Goiânia

Seminário que encerrou a edição 2021 do Concrete Show Xperience tratou dos entraves que impedem o pavimento de concreto de avançar como solução urbana. Apesar de conseguir um volume maior de contratações por parte das prefeituras, o sistema ainda esbarra em aspectos culturais e no chamado “jeitinho brasileiro”, afirmam os debatedores que estiveram no evento virtual. Entre eles, Valter Frigieri, da ABCP; Eduardo Tarduce, consultor em pavimentação de concreto; Vagner Lopes, da Abesc, e João Batista Rodrigues da Silva, presidente do IBTS 

Valter Frigieri, diretor de planejamento e mercado da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), faz a seguinte análise: “Falta planejamento e urbanismo para as cidades pensarem em pavimento de concreto. As prefeituras não têm estrutura técnica de engenharia para viabilizar esse processo. Também tem o aspecto cultural calcado em cima do asfalto. Isso enraizou nos municípios. O asfalto é flexível também para criar obras superficiais, de aparência, mas sem durabilidade e que geram recapeamentos em série. Soluções baratas geram obras ruins.”  

O dirigente da ABCP conclui que o pavimento de concreto não aceita “jeitinho”. “Ele requer planejamento, projeto e engenharia. As administrações públicas até começam a ter boa visão do concreto, mas a engrenagem das prefeituras ainda está montada para pavimentar com asfalto. Inclusive, o maquinário público. Isso gera estoques de passivos, pois uma avenida de asfalto vai requerer manutenção daqui a, no máximo, 5 anos”, alerta Frigieri, relacionando quais obras urbanas mais utilizam pavimento de concreto atualmente. “São os corredores de BRT, as avenidas, as ruas de bairros em cidades do interior – e com a participação das comunidades nas obras -, condomínios privados e ruas vicinais”, completa. 

Estratégia de disseminação do sistema de paredes de concreto deve inspirar o pavimento urbano de concreto  

Referindo-se à fala do diretor da ABCP, o consultor em pavimentação de concreto Eduardo Tarduce reforçou a necessidade de alterar essa visão do poder público. “Essa cultura a gente precisa mudar no Brasil. Até porque, o pavimento de concreto é o futuro”, afirma. Tarduce ressalta também que o aumento generalizado do preço do barril do petróleo tende a inviabilizar o custo do pavimento com asfalto. “O produto (petróleo) que está cada vez mais caro. Logo, futuramente será inviável fazer uso de asfalto e demais derivados do petróleo. Já o pavimento de concreto não tem esse problema, pois teremos a principal matéria-prima dele por muitos anos, em larga escala e a um preço barato, que é o cimento. 

Wagner Lopes, presidente da Abesc (Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Concretagem), reforça que em 2022 haverá um trabalho ainda mais fortalecido pelo pavimento urbano de concreto. O dirigente repete as vantagens do sistema. “Ele oferece uma série de benefícios às cidades. Além de minimizar o aquecimento das vias em até 2°C, reduz a emissão de CO₂, ajuda a economizar o consumo de energia elétrica das cidades e possui uma longa vida útil, comparado com o asfalto”, complementa. 

Para finalizar, o diretor do Instituto Brasileiro de Telas Soldadas (IBTS), João Batista Rodrigues da Silva, defende que é necessário disseminar o pavimento urbano de concreto da mesma forma que ocorreu com as paredes de concreto. “Em 2007, quando nos reunimos para buscar uma melhor solução construtiva que atendesse as necessidades do mercado imobiliário nacional, nos deparamos com a ideia das paredes de concreto. Até então, o sistema era pouco utilizado no país e, hoje, é uma tecnologia de sucesso no Brasil. São mais de 200 construtoras fazendo uso deste modelo e mais de 70% das moradias dos programas habitacionais já utilizam o sistema. Agora, temos que adotar a mesma estratégia com os pavimentos urbanos de concreto”, conclui. 

Assista à integra do seminário “Pavimento Urbano de Concreto” 

Entrevistado
Reportagem com base no seminário “Pavimento Urbano de Concreto”, que ocorreu na 2ª edição da Concrete Show Xperience 

Contato
concreteshow@go08.informamarkets.com

Jornalista responsável:
Altair Santos MTB 2330

1 de dezembro de 2021

VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no Massa Cinzenta e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil