Paraná terá o maior programa de concessões do Brasil

Setor produtivo do estado participa de reuniões técnicas para conhecer projetos de engenharia das rodovias
24 de março de 2021

Paraná terá o maior programa de concessões do Brasil

Paraná terá o maior programa de concessões do Brasil 1024 683 Cimento Itambé
Dos mais de 3 mil quilômetros de rodovias que serão privatizados no Paraná, plano prevê a duplicação de quase 1.800 quilômetros Crédito: AEN

Dos mais de 3 mil quilômetros de rodovias que serão privatizados no Paraná, plano prevê a duplicação de quase 1.800 quilômetros
Crédito: AEN

Na semana de 15 a 19 de março de 2021 foi apresentado ao G7 o maior programa de concessões de rodovias em um único estado do Brasil, e que irá abranger 3.327 quilômetros dentro do Paraná. Além da equipe técnica do ministério da Infraestrutura, participaram das videoconferências representantes da Fiep (Federação das Indústrias do Estado do Paraná), da Fecomércio (Federação do Comércio Varejista do Estado do Paraná), da Faep (Federação da Agricultura do Estado do Paraná), da Fetranspar (Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná), da Fecopar (Federação dos Contabilistas do Estado do Paraná), da Faciap (Federação da Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná) e da ACP (Associação Comercial do Paraná). Juntas, essas federações representam o G7 paranaense. 

As reuniões técnicas abrangeram os projetos de engenharia previstos para os 6 lotes de concessões. O plano apresentado ao setor produtivo paranaense prevê privatizar 3.327 quilômetros, dos quais 1.783 serão duplicados e 492 receberão faixas adicionais. Serão construídos também 10 contornos urbanos em algumas das principais cidades do estado. Por contrato, 90% das duplicações deverão ser entregues entre o 3º e o 9º ano de concessão. A divisão das rodovias em 6 lotes baseou-se em dados da Empresa de Planejamento de Logística, ligada ao ministério da Infraestrutura. O investimento previsto ultrapassa os 60 bilhões de reais em 30 anos. Já o retorno à economia do Paraná é estimado em 135 bilhões de reais, na forma de aumento de produtividade, melhoria da logística e geração de emprego e renda. 

Conheça as principais obras em cada lote 

Lote 1
Com extensão de 473 quilômetros, abrange as rodovias federais que cruzam a região metropolitana de Curitiba e os Campos Gerais. Serão duplicados 313 quilômetros, nos seguintes trechos: 20 quilômetros dcontorno norte-oeste de Curitiba; um novo traçado de 155 quilômetros da BR-277, entre São Luiz do Purunã e trevo do Relógioem Prudentópolis; 100 quilômetros da BR-373, entre Prudentópolis e Ponta Grossa, e 38 quilômetros da BR-476, entre Lapa e Araucária. Também está prevista a construção de mais 202 quilômetros de faixas adicionais (terceiras faixas)O investimento previsto é de 6,5 bilhões de reais. 

Lote 2
Tem extensão de 575 quilômetros, e irá receber o maior volume de investimentos: 29 bilhões de reais. Inclui a duplicação de 382 quilômetros, 139 quilômetros de faixas adicionais32 quilômetros de ciclovias, 71 quilômetros de vias marginais e 58 passarelas para pedestres. Abrange a BR-277 em direção aos portos de Paranaguá e Antonina, a PR-407 e a PR-508, ambas no litoral. O lote 2 engloba também as estradas do Norte Pioneiro. Serão duplicadas a BR-369, entre Cornélio Procópio e Jacarezinho; a PR-092, entre Jaguariaíva e Jacarezinhoe a PR-151, entre Piraí do Sul e Sengés. 

Lote 3
A extensão é de 562 quilômetros e o investimento em obras soma 7,63 bilhões de reais. Prevê 201 quilômetros de duplicações, nas seguintes rodovias: BR-323, entre Cambé e Sertaneja; PR-445, entre Londrina e Mauá da Serra, e BR-376, entre Ortigueira e Imbaú, incluindo correções na Serra do Cadeado. O projeto prevê ainda a implantação de 26 quilômetros de faixas adicionais, 15 quilômetros de pistas marginais, 32 passarelas para pedestres e 5 contornos em pista dupla – 2 em Ponta Grossa (norte e leste), além das cidades de Califórnia, Apucarana e Arapongas. 

Lote 4
Engloba 628 quilômetros, com investimento de 7,7 bilhões de reais. A principal obra é a duplicação de 173 quilômetros da PR-323, entre Doutor Camargo e Iporã. Outros 125 quilômetros receberão faixas adicionais, além de 40 quilômetros de vias marginais e 57 passarelas para pedestres. O trecho entre Maringá e Londrina ganhará barreiras entre as pistas e acostamentos em 40 quilômetros. Também serão construídos 4 contornos para desviar o tráfego pesado do perímetro urbano de Londrina (norte), de Maringá (sul), de Nova Londrina e de Itaúna do Sul. 

Lote 5
Envolve 430 quilômetros, com investimento de 4,33 bilhões de reais. Serão duplicados 243 quilômetros. A principal intervenção ocorrerá em 170 quilômetros da BR-369, entre Cascavel e Campo Mourão. Também serão duplicados 58 quilômetros da BR-163, entre Guaíra e Marechal Cândido Rondon. Outras obras previstas são a implantação de 21 quilômetros de vias marginais, incluindo Cascavel e Toledo, além de 68 retornos e 7 passarelas para pedestres. 

Lote 6
Abrange 659 quilômetros e tem investimento previsto de 8,64 bilhões de reais. Pega o trecho da BR277, no sentido entre Foz do Iguaçu até o Trevo do Relógio, em Prudentópolis), além da BR163entre Cascavel e Capitão Leônidas Marques, e a PR280entre Realeza, Francisco Beltrão e Pato Branco. Prevê 444 quilômetros de duplicação, além da construção de 14 quilômetros de ciclovias, 111 quilômetros de vias marginais, 34 passarelas para pedestres, 1 contorno e 25 obras de arte, entre pontes, viadutos e trincheiras. 

Assista à integra das videoconferências

Lote 1

Lote 2 
Lote 3
Lote 4
Lote 5
Lote 6

Clique e baixe estudo completo realizado pelo Observatório Nacional de Transporte e Logística 

Entrevistado
Reportagem com base na série de videoconferências promovidas pela Fiep (Federação das Indústrias do Estado do Paraná) e o ministério da Infraestrutura 

Contatos
imprensa@sistemafiep.org.br
institucional@epl.gov.br 

Jornalista responsável:
Altair Santos MTB 2330

24 de março de 2021

VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no Massa Cinzenta e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil