Novas rodadas de concessões incluirão “joias da coroa”

Rodovia Presidente Dutra, porto de Santos e aeroportos de Congonhas e Santos Dumont estarão em futuros leilões
20 de abril de 2021

Novas rodadas de concessões incluirão “joias da coroa”

Novas rodadas de concessões incluirão “joias da coroa” 1024 685 Cimento Itambé
Aeroporto de Congonhas, em São Paulo-SP, é o que mais recebe voos domésticos e o 2º em volume de embarques e desembarques no Brasil. Crédito: Infraero

Aeroporto de Congonhas, em São Paulo-SP, é o que mais recebe voos domésticos e o 2º em volume de embarques e desembarques no Brasil.
Crédito: Infraero

O sucesso da Infra Week, que leiloou 28 ativos, entre os quais 22 aeroportos, animou o ministério da Infraestrutura para os futuros leilões que devem ocorrer entre o 2º semestre de 2021 e o 1º semestre de 2022. Mais 50 ativos serão concedidos à iniciativa privada e neles estarão as chamadas “joias da coroa”. São a rodovia Presidente Dutra, principal ligação entre São Paulo-SP Rio de Janeiro-RJ, e os aeroportos de Congonhas, na capital paulista, e Santos Dumont, na capital fluminense. Também irão a leilão as BRs 153 e 163, os portos do Espírito Santo e novos terminais do porto de Santos, além de outros 14 aeroportos 

O governo tem a expectativa de arrecadar mais 84 bilhões de reais com essas concessões. Em 2 anos, já foram leiloados 41 ativos e contratados 44 bilhões de reais em investimentos e mais 13 bilhões de reais de outorga. Quando todas as concessões planejadas estiverem concluídas, o Palácio do Planalto projeta retorno de 250 bilhões de reais em investimentos na infraestrutura. “Estamos procurando seguir o que estabelecemos desde o 1º dia de governo“, diz o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, sobre o projeto de transferir grande volume de ativos para a iniciativa privada. 

O presidente da Abdib (Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base), Venilton Tadini, avalia que o governo tem feito “golaços” com os leilões. “O resultado desses leilões mostra que o Brasil continua estruturando bons projetos com racionalidade econômica, capazes de atrair o interesse de investidores com foco no longo prazo. Mas o impacto positivo desses projetos na economia vai levar um tempo até as empresas assinarem os contratos e depois começarem a captar os recursos para os investimentos”, afirma. O setor econômico especializado em infraestrutura estima que os efeitos das recentes concessões só serão percebidos em 2022. 

Brasil precisaria de 10 Infra Week por ano para suprir gargalos de infraestrutura 

O próprio ministério da Infraestrutura admite que o impacto da Infra Week comece efetivamente a aparecer a partir do 3º trimestre de 2021Após a assinatura dos contratos, há um período de transição antes do início dos investimentos privados. Normalmente, cerca de 70% do total de investimentos previstos para o período de concessão são realizados nos primeiros 5 anos de contrato. Ou seja, o reflexo na geração de empregos deve se dar a partir de 2022”, revela nota oficial do ministério, após os 3 dias de leilões da Infra Week. Essa etapa de concessões rendeu ao governo 3,5 bilhões de reais e o compromisso dos blocos vencedores de investir 12 bilhões em 30 anos.  

Os 22 aeroportos leiloados foram divididos em 3 blocos (sul, central e norte). O sul foi arrematado pela Companhia de Participações em Concessões, parte do grupo CCR, por 2,1 bilhões de reais, e engloba os terminais localizados em São José dos Pinhais-PR (Aeroporto Internacional de Curitiba), Foz do Iguaçu-PR, Navegantes-SC, Londrina-PR, Joinville-SC, Bacacheri, em Curitiba-PR, PelotasRS, UruguaianaRS e BagéRS. Compõem o bloco central os aeroportos de Goiânia-GO, São Luís-MA, Teresina-PI, Palmas-TO, Petrolina-PE e Imperatriz-MA. O norte tem os terminais de ManausAM, Porto VelhoRO, Rio BrancoAC, Cruzeiro do SulAC, TabatingaAM, TeféAM e Boa VistaRR.  

Também foram leiloados 4 terminais do porto de Itaqui, no Maranhão, e 1 no porto de Pelotas-RS, além de um trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL), entre Ilhéus e Caetité, na Bahia. Segundo projeções dAbdib, o Brasil precisaria de 10 Infra Weeks por ano para suprir os gargalos em infraestrutura. 

Entrevistado
Ministério da Infraestrutura e Abdib (Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base) 

Contatos
aescom@infraestrutura.gov.br
abdib@abdib.org.br 

Jornalista responsável:
Altair Santos MTB 2330

20 de abril de 2021

VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no Massa Cinzenta e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil