Norma admite agregados reciclados em concreto estrutural

    ABNT NBR 15116 flexibiliza requisitos para obras leves em ambientes de agressividade I e II
    17 de novembro de 2021
    Para fins estruturais, a ABNT NBR 15116:2021 admite apenas o uso de Agregado Reciclado de Concreto (ARCO) e na porcentagem de 20% Crédito: Abrecon

    Para fins estruturais, a ABNT NBR 15116:2021 admite apenas o uso de Agregado Reciclado de Concreto (ARCO) e na porcentagem de 20%
    Crédito: Abrecon

    O CB-018 (Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados), vinculado à ABNT, publicou em junho a nova versão da ABNT NBR 15116:2021 (Agregados reciclados para uso em argamassas e concretos de Cimento Portland – Requisitos e métodos de ensaios). A anterior era de 2004. A norma especifica os critérios para produção, recepção e uso dos agregados reciclados (miúdos e graúdos) obtidos a partir do beneficiamento de resíduos da construção civil (RCC). A novidade da ABNT NBR 15116:2021 é que ela agora admite esse tipo de agregado em concretos estruturais. A versão antiga recomendava o uso apenas em concretos sem função estrutural. 

    A nova norma técnica define que não é qualquer agregado reciclado que serve para produzir concreto estrutural. A ABNT NBR 15116:2021 separa os resíduos da construção civil em “classes A, B, C e D”. Apenas o de classe A é recomendado. Trata-se do agregado graúdo de resíduo de concreto, cujas especificações são as seguintes, diz a norma: “Deve ser composto na sua fração graúda de, no mínimo, 90% em massa de fragmentos à base de Cimento Portland e rochas”. Ou seja, além de ser da classe A, o resíduo deve pertencer à subclasse ARCO, que significa Agregado Reciclado de Concreto (ARCO). 

    As outras duas subclasses da classe A são o Agregado Reciclado Cimentício (ARCI) e o Agregado Reciclado Misto (ARM), mas essas não são aceitas pela norma para a produção de concreto estrutural. Além disso, ela define o percentual que pode ser incluído na mistura. Diz o trecho da ABNT NBR 15116:2021: “Admite a possibilidade do uso de agregados reciclados para dosagens de concretos com fins estruturais, desde que sejam respeitadas as devidas recomendações: uso restrito de ARCO, teor de substituição de 20% dos agregados convencionais pelo reciclado e uso em concretos das classes de agressividade I e II, de acordo com a ABNT NBR 6118:2014.” 

    Agregados reciclados são admitidos para a produção de concretos estruturais com resistência máxima de 20 MPa 

    As classes de agressividade I e II referem-se a ambientes em que o risco de deterioração das estruturas é insignificante ou pequeno. Além disso, a ABNT NBR 15116:2021 aconselha o uso de agregados reciclados para a produção de concretos estruturais com resistência máxima de 20 MPa – geralmente usados para a construção de obras leves e unidades unifamiliares de até 2 pavimentos (casas e sobrados). Em laboratório, concretos com agregados reciclados, que são entre 60% e 70% menos resistentes do que os que utilizam brita, já atingiram 45 MPa. Isso foi obtido em ensaios realizados na Alemanha, na Inglaterra, na Suíça e na Índia, que há anos desenvolvem pesquisas para obter concretos estruturais usando agregados reciclados 

    Além de seguir os requisitos da ABNT NBR 15116:2021, o CB-018 recomenda que o concreto estrutural que utilizar agregados reciclados deve atender também a ABNT NBR 6118 (Estruturas de concreto armado), a ABNT NBR 7211 (Agregados para concreto – Especificações) e a ABNT NBR 16917 (Agregado graúdo – Determinação da densidade e da absorção de água) também recentemente revisada pelo Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados. Segundo a Abrecon (Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção Civil e Demolição) a revisão da ABNT NBR 15116:2021 deve levar também à revisão das outras 4 normas técnicas correlatas, que são:  

    – ABNT NBR 15115:2004 – Agregados reciclados de resíduos sólidos da construção civil – Execução de camadas de pavimentação – Procedimentos 

    – ABNT NBR 15114:2004 – Resíduos sólidos da Construção civil – Áreas de reciclagem – Diretrizes para projeto, implantação e operação 

    – ABNT NBR 15113:2004 – Resíduos sólidos da construção civil e resíduos inertes – Aterros – Diretrizes para projeto, implantação e operação 

    – ABNT NBR 15112:2004 – Resíduos da construção civil e resíduos volumosos – Áreas de transbordo e triagem – Diretrizes para projeto, implantação e operação 

    Entrevistados
    CB-018 (Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados) e Abrecon (Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção Civil e Demolição) (via assessorias de imprensa) 

    Contatos
    impresa@abnt.org.br
    rcd@abrecon.org.br 

    Jornalista responsável:
    Altair Santos MTB 2330

    17 de novembro de 2021

    VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

    MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

    Cadastre-se no Massa Cinzenta e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil