Construção digital não está no dia a dia de 87% das empresas

    Pesquisa mostra o quanto setor brasileiro precisa acelerar para se conectar com a modernidade
    15 de setembro de 2020

    Apesar de terminologias como construtechs, Inteligência Artificial, Realidade Aumentada, impressão 3D, robótica, BIM, IoT, drones e Construção 4.0 estarem cada vez mais presentes entre os assuntos que circundam a construção civil, o dia a dia das empresas do setor ainda é bem diferente no Brasil. Pesquisa do Portal AECweb mostra que 87% das construtoras, escritórios de engenharia e arquitetura, empreiteiras e incorporadoras não usam ou utilizam minimamente os processos de construção digital.

    Para 32% dos que participaram da pesquisa, email e WhatsApp é o máximo que as aproxima do mundo digital. Por outro lado, o levantamento detectou que a pandemia está levando um número maior de empresas a buscar ferramentas que as conectem com a modernidade. No entanto, a adaptação não virá da noite para o dia. Algumas admitem prazos de 2 anos a 3 anos para aderirem a processos de construção digital. Entre os entraves, as empresas citaram os seguintes:

    1. As novas soluções têm preço elevado (23,5%)
    2. Faltam habilidades e conhecimento adequado aos funcionários (18,4%)
    3. A direção da empresa não tem cultura digital (17,4%)
    4. São muitas soluções, existe um software para cada assunto (15%)
    5. Falta de tempo para dedicar à implantação (13,2%)
    6. As novas soluções são muito difíceis de implantar (6,5%)
    7. É muito difícil adequar os processos atuais (6%)

    Entre as empresas em processo de transformação digital, o BIM é a ferramenta mais usada

    Para 58% das empresas que atuam em projetos ou diretamente nos canteiros de obras, o BIM é ferramenta indispensável Crédito: BIM

    Para 58% das empresas que atuam em projetos ou diretamente nos canteiros de obras, o BIM é ferramenta indispensável
    Crédito: BIM

    De acordo com o levantamento, 13% das empresas entrevistadas já se consideram digitalizadas e utilizam os meios digitais em todos os seus processos. Para elas, os principais benefícios dentro do canteiro de obras são: planejamento e controle (32%), gestão operacional e de processos (32%), integração entre escritório e obra (18%) e controle de custos (18%). Entre as ferramentas que os entrevistados citaram, o BIM é utilizado por 58%. Em seguida, vêm drones (9%) e Realidade Aumentada (9%).

    Para aquelas empresas que admitem aderir a processos de construção digital entre 2 anos e 3 anos, a maioria (28%) pretende começar pelos projetos. Depois, planejamento (21%) e administração (18%). O objetivo é conseguir aumento de produtividade (26%), automatização dos processos (22%) e redução de custos (21%). Atualmente, as construtoras e os escritórios de engenharia são os mais conectados com a era digital. Para 35%, essa é uma transformação irreversível.

    Quanto a usar a construção digital para superar os efeitos da pandemia sobre a construção civil, 54% dos entrevistados admitiram que “sem a transformação digital será muito difícil se recuperar da crise”. Para 30%, será “impossível se recuperar da crise” e 16% disseram que a transformação digital “não é importante para se recuperar da crise”. Em recente debate sobre construção digital, o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) José Carlos Martins, fez a seguinte constatação: “Hoje, quem não interage digitalmente perde espaço. Não é questão de luxo, mas de sobrevivência.”

    O levantamento da AECweb ouviu 500 empresas durante o mês de agosto. Confira a íntegra da pesquisa
    https://www.aecweb.com.br/infografico/pesquisa-transformacao-digital.html?utm_source=sales_force&utm_medium=email&utm_term=&utm_content=&utm_campaign=pesquisa_aecweb

    Entrevistado
    Reportagem com base no relatório da pesquisa “A transformação digital na construção civil”

    Contato
    contato@aecweb.com.br

    Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330

    VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

    MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

    Cadastre-se no Massa Cinzenta e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil