Conheça as 10 melhores “universidades jovens” na engenharia civil

Publicação britânica aponta ranking de cursos de graduação, incluindo os que mais se destacam no Brasil
29 de junho de 2021

Conheça as 10 melhores “universidades jovens” na engenharia civil

Conheça as 10 melhores “universidades jovens” na engenharia civil 1024 683 Cimento Itambé
Curso de graduação em engenharia civil da Universidade Estadual de Londrina está entre os 4 melhores do Brasil, na categoria “universidades jovens”. Crédito: Agência UEL

Curso de graduação em engenharia civil da Universidade Estadual de Londrina está entre os 4 melhores do Brasil, na categoria “universidades jovens”.
Crédito: Agência UEL

O Times Higher Education, especializado em rankings mundiais de universidades, organizou uma lista com as melhores “universidades jovens” do mundo. A organização define como “universidades jovens” aquelas fundadas a partir de 1971. A Coreia do Sul lidera a lista global, com 3 universidades tecnológicas entre as 10 melhores, apesar de a 1ª colocada ser de Cingapura. Trata-se da Universidade Tecnológica de Nanyang. No Brasil, na categoria engenharia civil, 10 instituições foram ranqueadas.  

Destaque para o Paraná, com 3 entre as 10 melhores. Confira a lista: 1º. Universidade Estadual Paulista-SP; 2º. Universidade Estadual de Santa Cruz-BA; 3º. Universidade Federal Rural do Semi-Árido-RN; 4º. Universidade Estadual de Londrina-PR; 5º. Universidade Federal de Uberlândia-MG; 6º. Universidade Estadual do Oeste do Paraná-PR; 7º. Universidade Federal do ABC-SP; 8º. Universidade Tecnológica Federal do Paraná-PR; 9º. Universidade Federal do Piauí-PI, e 10º Universidade de Fortaleza-CE. 

Um dos destaques do departamento de engenharia civil da Universidade Estadual Paulista (UNESP) é o Grupo de Pesquisa em Materiais Alternativos de Construção (MAC). Em 2017, em parceria com Universitat Politècnica de València, na Espanha, foi desenvolvido um tipo de cimento com 20% de cinzas resultantes da queima de caroços de azeitonas e 80% de escórias de alto-forno. Uma das características do experimento é que ele não precisa atingir temperaturas acima de 1.400 °C para desencadear as reações que resultam no material. Consequentemente, há menor emissão de CO₂. 

Terceira colocada no ranking, a graduação em engenharia civil da Universidade Estadual de Santa Cruz, localizada em Ilhéus-BA, foi implantada em 2011, mas já está consolidada entre os 10 melhores cursos da região nordeste. Na Bahia, ocupa o 2º lugar. A graduação tem foco na construção sustentável. Outro curso de engenharia civil bem jovem é o da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), localizado em Mossoró-RN. Inaugurada em 2014, a graduação é bem avaliada pelo MEC. Entre suas pesquisas, está a que usa cinzas de casca de arroz na produção de Cimento Portland. O estudo foi desenvolvido em 2018. 

A Universidade Estadual de Londrina (UEL), localizada no norte do Paraná, passou a integrar recentemente a “Aliança Construção Modular”. O grupo une universidades e startups da construção civil para desenvolver projetos que busquem popularizar a construção modular no Brasil. Já a Universidade Federal de Uberlândia conta com o conceituado LabMat (Laboratório de Materiais de Construção Civil) que realiza pesquisas com materiais compósitos, fibras vegetais em concretos e argamassas e reaproveitamento de resíduos da construção. 

Pesquisas com nanotecnologia e ensino com base na plataforma BIM se destacam 

A Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), com campus espalhados nas principais cidades do oeste paranaense, foi uma das primeiras do Brasil a se dedicar ao desenvolvimento de projetos de construção sustentável. Em 2002, antes mesmo de as certificações de sustentabilidade proliferarem no país, ela criou a “Casa Inteligente”, que fazia o uso de energia solar, reaproveitamento de água da chuva e ventilação cruzada.  

Outra ranqueada pelo Times Higher Education, a Universidade Federal do ABC Paulista é uma das 17 instituições de ensino escolhidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII), em parceria com o Ministério da Educação (MEC). O departamento de engenharia civil da UFABC é responsável por pesquisas que aplicam a nanotecnologia na construção civil. Na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) o destaque é o desenvolvimento de projetos ligados à plataforma BIM, e que fazem os engenheiros civis e arquitetos formados na universidade saírem para o mercado com conhecimento da tecnologia. Desde 2011, a UTFPR possui convênio com a Cia. de Cimento Itambé. 

A 9ª e a 10ª colocadas no ranking Times Higher Education, com base nas graduações de engenharia civil, são a Universidade Federal do Piauí (UFPI) e a Universidade de Fortaleza (UNIFOR). A primeira tem uma pesquisa reconhecida internacionalmente com tijolos ecológicos. A segunda é uma das poucas do continente sul-americano a oferecer a disciplina de Ciências da Cidade para graduados em engenharia civil e arquitetura e urbanismo. 

Acesse o ranking

Entrevistado
Times Higher Education e departamentos de engenharia civil da UNESP, da UESC, da Ufersa, da UEL, da UFU, da UNIOESTE, da UFABC, da UTFPR, da UFPI e da UNIFOR 

Contato
Communications@timeshighereducation.com
dec@feb.unesp.br
colec@uesc.br
engcivil@ufersa.edu.br
coleng-civil@uel.br
feciv@ufu.br
www.unioeste.br/prg
central.prograd@ufabc.edu.br
coeci-ct@utfpr.edu.br
cec@ufpi.​edu.br
eng_civil@unifor.br 

Jornalista responsável:
Altair Santos MTB 2330

29 de junho de 2021

VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no Massa Cinzenta e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil