Cão-robô vira “melhor amigo” do canteiro de obras

Máquina é usada para realizar levantamento topográfico, controlar estoque e fiscalizar a execução da obra
7 de julho de 2021

Cão-robô vira “melhor amigo” do canteiro de obras

Cão-robô vira “melhor amigo” do canteiro de obras 1024 575 Cimento Itambé
Robô pode ser programado para cumprir sua tarefa sozinho ou monitorado por um técnico no canteiro de obras Crédito: Foster+Partners

Robô pode ser programado para cumprir sua tarefa sozinho ou monitorado por um técnico no canteiro de obras
Crédito: Foster+Partners

Spot é o nome do cão-robô desenvolvido pela Boston Dynamics – empresa recentemente vendida para a sul-coreana Hyundai. O equipamento é multitarefas. Entre elas, é capaz de atuar como fiscal de obra. No canteiro, ele é equipado com um scanner a laser 3D, que permite ler a execução dos vários estágios de uma construção e compará-los com os projetos concebidos na plataforma BIM. Se algo estiver em desacordo, o cão-robô sinaliza. A máquina também consegue operar em levantamentos topográficos e na verificação do estoque de materiais de construção dentro do canteiro.  

Nos Estados Unidos, a primeira grande obra de infraestrutura a utilizar um conjunto de cães-robôs é o aeroporto de Denver, no Colorado. O terminal passa por ampliação e os equipamentos atuam em 3 frentes: nos levantamentos topográficos, no controle de estoque e no controle de qualidade da execução. Também há máquinas com essas características operando em obras de edifícios. Escritórios de arquitetura e engenharia passaram a usá-las recentemente, e um deles é conhecido globalmente: o britânico Foster+Partners. A principal função do cão-robô da empresa é inspecionar a precisão de execução das obras. 

Na pandemia, a empresa fabricante do cão-robô viu as vendas crescerem exponencialmente. Cada máquina custa 75 mil dólares. Com as adaptações para funções específicas dentro da construção civil, seu preço pode chegar a 90 mil dólares, dependendo da tecnologia embarcada. “A máquina pode ser operada no local, através de um joystick, controlada remotamente à distância ou programada para atuar sozinha. “O Spot tem como funcionar depois que todos forem embora, percorrer a obra e armazenar os dados em nuvem para a captura do gerente de projetos”, explica David Burczyk, engenheiro especialista em BIM e construção virtual. 

Robótica na construção não vai gerar desemprego, mas mudar perfil do trabalhador 

Spot, o cão-robô multifuncional, consegue operar na construção civil quando acoplado a um scanner a laser 3D Crédito: Foster+Partners

Spot, o cão-robô multifuncional, consegue operar na construção civil quando acoplado a um scanner a laser 3D
Crédito: Foster+Partners

Na ampliação do aeroporto de Denver, o engenheiro de construção virtual da Hensel Phelps Construction – empresa responsável pela obra -, Drew Rebman, elenca as vantagens de utilizar o cão-robô em tempos de pandemia. “Não poderia vir em melhor hora. Seu uso permitiu que a empresa se mantivesse produtiva mesmo com as diretrizes de distanciamento social e a escassez de mão de obra no local da construção”, elogia. Já Martha Tsigkari, engenheira de design computacional da Foster+Partners, disse ter ficado impressionada com a capacidade do equipamento de realizar varreduras no ambiente em construção. “Ele coleta uma grande quantidade de dados de alta qualidade”, afirma. 

Os entrevistados também avaliam que o uso de tecnologia robótica na construção civil não irá gerar desemprego no setor, mas atrair um novo tipo de trabalhador. “A ascensão das ferramentas robóticas tende a estimular a geração inovadora a atuar na indústria da construção”, diz Drew Rebman. Quanto ao cão-robô Spot, sua multifuncionalidade continua atraindo clientes. O exército norte-americano adquiriu um lote inicial de 30 máquinas. Na Nova Zelândia, os fazendeiros estão comprando o equipamento para pastorear ovelhas e coletar dados agrícolas. Em Cingapura, o governo local utiliza os robôs para manter o distanciamento social em locais públicos e evitar a contaminação por COVID-19. O mesmo acontece na cidade de Boston, nos EUA, onde a máquina foi criada. 

Veja vídeo do cão-robô em operação  

Entrevistado
Boston Dynamics, Foster+Partners e Hensel Phelps Construction (via departamentos de mídia) 

Contatos
media@bostondynamics.com
london@fosterandpartners.com
www.henselphelps.com 

Jornalista responsável:
Altair Santos MTB 2330
 

7 de julho de 2021

VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no Massa Cinzenta e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil