Brasil busca “selo verde” para ferrovias, a fim de atrair investidor

Integração Oeste-Leste, Integração do Centro-Oeste e Ferrogrão são as prioridades do governo federal
16 de março de 2021

Brasil busca “selo verde” para ferrovias, a fim de atrair investidor

Brasil busca “selo verde” para ferrovias, a fim de atrair investidor 1024 768 Cimento Itambé
Ambientalmente sustentáveis, ferrovias nacionais buscam fundos de investimento com recursos que chegam a 700 bilhões de dólares Crédito: Valec

Ambientalmente sustentáveis, ferrovias nacionais buscam fundos de investimento com recursos que chegam a 700 bilhões de dólares
Crédito: Valec

O governo brasileiro busca o “selo verde” da Climate Bonds Initiative para 3 eixos ferroviários no país: a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL), a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (FICO) e a Ferrogrão. Com o “selo verde”, os projetos poderão acessar financiamento no mercado de green bonds (títulos verdes) que envolve fundos internacionais direcionados a obras sustentáveis. Estima-se que esses fundos tenham cerca de 700 bilhões de dólares para investir em empreendimentos que comprovem menor emissão de CO₂ na atmosfera. No entanto, eles só se interessam por projetos que tenham o aval da Climate Bonds Initiative. Trata-se de um organismo internacional que certifica obras de infraestrutura que contribuem com a sustentabilidade ambiental.

O documento a ser encaminhado à Climate Bonds Initiative mostra que a FIOL, a Ferrogrão e a FICO reduzirão a emissão de CO₂ em 84%, 77% e 74%, respectivamente. As razões estão relacionadas com a retirada de caminhões das rodovias, ao fato do modal ferroviário reduzir o uso de asfalto como pavimento e à construção industrializada de concreto na fabricação de dormentes e nos projetos de pontes, viadutos e túneis. O estudo a ser encaminhado à Climate Bonds Initiative foi elaborado pela Empresa de Planejamento e Logística, a pedido do ministério da Infraestrutura. “A medida busca aumentar a atratividade dos projetos de infraestrutura do governo federal”, explica Arthur Lima, diretor-presidente da EPL (Empresa de Planejamento e Logística). Duas das 3 ferrovias – a FIOL e a Ferrogrão – irão a leilão até o final do 2ª trimestre de 2021.

No começo de março, a Norte-Sul teve mais um trecho inaugurado

Para o ministério da Infraestrutura, a FIOL é a prioridade das prioridades neste ano. “Prioridade absoluta para nós é a FIOL. Temos uma previsão de 488 milhões de reais na lei orçamentária de 2021. Mas isso não é suficiente para avançarmos na velocidade que a gente quer”, diz o ministro Tarcísio Gomes de Freitas. Quando concluída, a Ferrovia de Integração Oeste-Leste irá se conectar com a FICO e com a Norte-Sul no estado de Tocantins. No começo de março, a Norte-Sul teve mais um trecho inaugurado. Agora ela vai de São Simão-GO até Estrela D’Oeste-SP sem interrupção. Já as obras da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste estão previstas para começar em abril. A FICO tem orçamento previsto de 4 bilhões e a expectativa é que seu 1º trecho entre em operação em 2026.

Quanto à Ferrogrão, a ferrovia terá extensão de 933 quilômetros, conectando a região produtora de grãos do Mato Grosso ao Pará, desembocando no Porto de Miritituba. A expectativa é que o projeto seja licitado ainda no 1º semestre de 2021. “A Ferrogrão será um grande corredor ecológico, uma barreira verde que vai ligar o norte do Mato Grosso aos portos do Pará e reduzir em 1 milhão de toneladas por ano a emissão de CO₂ da atmosfera”, atesta Tarcísio Gomes de Freitas. O governo espera que, com o “selo verde”, a Ferrogrão possa atrair 12 bilhões de reais em investimentos privados. “Cada vez mais os fluxos financeiros estarão atrelados aos padrões ambientais. Por isso, precisamos fazer projetos sustentáveis para atrair esses fundings”, completa o ministro.

Entrevistado
EPL (Empresa de Planejamento e Logística) (via assessoria de imprensa)

Contato
institucional@epl.gov.br

Jornalista responsável:
Altair Santos MTB 2330

16 de março de 2021

VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no Massa Cinzenta e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil